PROJETO MAN IN BLACK: SEMANAS 45, 46 E 47 - missmoon

PROJETO MAN IN BLACK: SEMANAS 45, 46 E 47

by - dezembro 15, 2017

Hey, amigos!
Estou nas semanas 45, 46 e 47 que correspondem aos anos de 2000, 2001, 2002. Nem acredito que estou finalizando esse projeto que comemoro cada view. Confesso que fui bem relapsa na divulgação, negligenciei pesquisas de grupos, páginas, sites, sei lá mais o quê ou onde eu poderia ter divulgado. E ele merece bem mais. Ele que teve o mundo aos seus pés, às suas mãos, aos seus olhos, seu coração... Uma pessoa fascinante dessas, bicho.

Enquanto escrevo, é impossível negar que vem a memória o fato de que, a essa altura, ele teria menos de um ano de vida. É duro. Mas, conforta saber que ele viveu muito e viveu como achou melhor - contando a partir de determinando tempo, é claro. Em 2000, ele estava lançando Solitary Man (American III), o meu favorito dessa pareceria com Rubin. E, por mais incrível que pareça, ele, do alto de seus 68 anos, estava na sua melhor forma! Que disco maravilhoso, profundo como o seu ser. Ele não tinha  mais obrigações, não precisava agradar ninguém além de si mesmo e o resultado é surpreendente.

Entre Unchained e esse álbum, a saúde de Cash piorou muito até que ele precisou ser hospitalizado por causa de uma pneumonia e isso o forçou a encurtar a turnê, que já era bastante enxuta. Solitary Man contém a resposta de Cash à doença, tipificada pela versão de I Won't Back Down, de Tom Petty, bem como de One, do U2. Da mesma forma que os outros álbuns dele, produzidos por Rick Rubin, American III ganhou o Grammy de Melhor Performance Masculina em Solitary Man, cover de Neil Diamond.

Ainda em 2000, o script original do filme Walk the Line (Johnny e June) fora vendido à Sony que agora esperaria tempo suficiente para produzir como bem entendesse; ao menos eles respeitaram a escolha do ator que viveria Johnny Cash, o Joaquin Phoenix. Foi o próprio John quem o havia indicado para o papel.

Como destaque ainda temos o Grammy Lifetime Achievement Award, concedido na 42ª cerimônia anual e Love, God, Murder (Columbia / Legacy),  um box-set com 3 CDS e que traz notas escritas por June Carter Cash (Love), Bono of U2 (God) e Quentin Tarantino (Murder) atrelados aos próprios pensamentos de Johnny Cash sobre cada tema, é lançado. Além do box, cada álbum também foi lançado separadamente no mesmo dia. Embora os discos sejam compilações, eles demonstram o afeto de Cash pelos trabalhos conceituais os quais acompanhamos ao longo de toda sua carreira.


Em 2001, ele entra para o Rockabilly Hall of Fame, National Medal of Arts. Além disso, os discos Johnny Cash: America - A 200-Year Salute In Story And Song (1972) e Ragged Old Flag (1974) são relançados nos EUA pela primeira vez, décadas depois de terem sido esgotados.

Em 12 de fevereiro de 2002 (meu aniversário, yeah!) é lançado o Essencial Johnny Cash, uma Joint Venture entre Columbia / Legacy e Razor & Tie, para celebrar as quase cinco décadas de parceria do Homem de Preto com o selo Sun Records. Esse também seria o memento ideal encontrado pela Columbia / Legacy para homenagear John pela comemoração dos seus 70 anos, completos no dia 26 de fevereiro desse mesmo ano.

Em março, The Fabulous Johnny Cash (1959, seu primeiro LP pela Columbia), Hymns By Johnny Cash (1959, seu segundo pelo mesmo selo), Ride This Train (1960), Orange Blossom Special (1965) e Carryin 'On With Johnny Cash e June Carter (1967) foram reeditados pela Columbia / Legacy em edições expandidas e digitalmente remasterizadas, sendo também relançados.

Já em agosto, Johnny Cash no Madison Square Garden (fruto de um show em 1969 com mais de 77 minutos e participações de Perkins, Statler Brothers e a Carter Family), Songs Of Our Soil (1959), Johnny Cash Sings Ballads Of The True West (1965) e Silver (1979) são reeditados pela Columbia / Legacy em edições expandidas e digitalmente remasterizadas (com faixas extras), chegavam às prateleiras já que a celebração do ano de 70 anos continuava.

Em novembro de 2002, American IV: The Man Comes Around (American, agora com a Universal Music), programado a ser o último de estúdio de Johnny Cash  com Rubin, entra no gráfico C&W, atingindo a posição #4 e ficando por lá durante 15 semanas. Esse álbum traz originais de Cash além de covers de artistas consagrados como: Hank Williams (I'm So Lonesome I Could Cry), Tex Ritter (Sam Hall), Beatles (In My Life), Eagles (Desperado), Ewan MacColl (First Time Ever I Saw Your Face), Paul Simon (Bridge Over Troubled Water), Sting (I Hung My Head), Depeche Mode (Personal Jesus), Nine Inch Nails (Hurt), entre outras. Aqui, temos grande destaque para Hurt cujo clipe, dirigido por Mark Romanek,  teve um sucesso estrondoso faturando muitos prêmios, inclusive o de clipe do ano no VMA MTV.

Esse post já está bastante longo, mas os últimos anos de vida de John Cash foram movimentadíssimos. Ainda falando sobre Hurt, cover que o tornou ainda mais conhecido do público mais jovem, sua filha, Cindy, chegou a afirmar: "Acho extremamente perturbador. É como se você estivesse se despedindo”. E Cash respondeu: “É exatamente isso que eu estou fazendo”.

Nada havia sido programado; o diretor iria levar John para Los Angeles, mas devido a sua saúde frágil ele não pode viajar. Dessa forma, Mark Romanek decidiu ir para  a casa dele no Tennessee e lá fizeram takes no piano e no violão. O resultado é uma belíssima obra prima: Johnny Cash, aos 70 anos, entregue de corpo e alma à canção.

O clipe alterna cenas dele sentado à mesa, com um imenso banquete, com registros antigos que contam a história de sua vida. Há uma cena de June ao pé da escada que parece também bastante distante, como numa despedida. É impossível não se emocionar. Após a gravação, o vocalista do Nine Inch Nails afirmou: “A música pertence a Johnny Cash agora”. Me arrepio só de escrever. Ainda hoje essa canção repercute; ela foi escolhida como trilha do filme Logan (2017).

- DISCOGRAFIA 2000 - 

LP - Solitary Man (American III), 17 de outubro de 2000 (American)

- DISCOGRAFIA 2002 -
 
LP - The Man Comes Around (American IV), 05 de novembro de 2002 (American)

Para ouvir Solitary Man (American III): Youtube
Para ouvir The Man Comes Around (American IV): Youtube
Para assistir clipe de Hurt: Youtube (impossível não chorar)
Para assistir trailer de Logan: Youtube (John ficou ainda mais conhecido, a música é citada diversas vezes, em muitos lugares, TT do Twitter, Facebook, Instagram) Johnny Cash continua mais vivo que nunca).

+ infos:
Sobre o projeto: https://goo.gl/Fa4YCx
Features news, discography, forum, chat, timeline, FAQ, pictures, merchandise, radio online and shop online | cash's official site: johnnycash.com 

You May Also Like

8 comentários

  1. Projeto maravilhoso e um post incrível. Realmente merece ser divulgado e lido, afinal você fez uma pesquisa e tanto que nos faz nos apaixonar por cada passo da vida de Cash. Adorei os vídeos relacionados. Impossível não nos emocionar. Seguindo o blog.

    *☆* Atraentemente *☆*

    ResponderExcluir
  2. Sei que ele é um cantor incrível, mas acredita que nunca ouvi a fundo sua discografia?
    Adorei esse seu projeto!

    Beijo!
    Cores do Vício

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem sabe se anima? Se ouvir me conta. :)

      Beijos!!!

      Excluir
  3. Eu assisti JOhnny e June e passei admirar ainda mais o Johnny Cash. Que homem apaixonante.

    Big Beijos,
    LULU ON THE SKY

    ResponderExcluir
  4. Que projeto maravilhoso.

    www.paginasempreto.blogspot.com.br

    Beijos

    ResponderExcluir

É muito bom ter você por aqui! Não deixe de compartilhar sua opinião comigo! ❤