#BOOKLIST: 5 LIVROS PERTURBADORES - Missmoon

#BOOKLIST: 5 LIVROS PERTURBADORES

by - julho 10, 2018


Livros perturbadores nem sempre estão ligados ao terror, mas há publicações tão inquietantes que são simplesmente capazes de tirar a nossa paz. Claro que isso depende de pessoa para pessoa, já que se impressionar com um relato depende de muitos fatores. Contudo, confesso que mesmo sendo muito acostumada com esse gênero, sou bastante sensível e me impressiono com histórias absurdas. E quando se trata de livros baseados em casos reais - isso também vale para filme -, putz! Já ligo o sinal de atenta e me envolvo verdadeiramente. Isso inclui pesquisar desdobramentos, fuçar tudo que houver a respeito, tipo surtar real. 

Esses dias estava limpando minha mini estante e peguei um título que me inspirou a fazer esse post com 5 obras que irão te impactar de alguma forma.

1. O conto da Aia: Escrito em 1985, o romance distópico da canadense Margaret Atwood, tornou-se um dos livros mais comentados em todo o mundo nos últimos tempos. A ficção futurista de Atwood é ambientada num Estado teocrático e totalitário em que as mulheres são vítimas de opressão, tornando-se propriedade do governo. O que se vê é uma relato monstruoso que prende o leitor numa cadeia de de opressão, misoginia e tortura psicológica inimagináveis.


2. Não Conte Para a Mamãe: “Aos dez anos de idade. deixei de esperar que as pessoas gostassem de mim.” Essa é uma das frases que compõe um relato sincero e estarrecedor de como a autora foi vítima de abuso por parte do próprio pai com a omissão da mãe, que antes do assédio a arrumava para estar sempre bonita, mas que depois começou a se irritar sempre que a menina simplesmente colocava uma roupa limpa ou penteava o cabelo. Violentada constantemente pelo pai, chegando a engravidar, Toni Maguire resvalou a completa destruição. Sua recuperação e seu reconhecimento como escritora servem de exemplo para crianças e jovens vítimas de abusos sexuais, mostrando-lhes que é preciso lutar contra essa condição e que é possível vencer. Não conte para a mamãe é assustador. Um livro de difícil leitura, mas fundamental.

3. Holocausto Brasileiro: O título desse livro não poderia ser mais adequado. Holocausto Brasileiro expõe a desumanidade até a última ponta. O intuito do livro de Daniela Arbex é trazer à tona um dos mais tristes cenários ocorridos nessa terra chamada Brasil, mais especificamente em Barbacena, Minas Gerais; uma colônia que servia como depósito de seres humanos na qual aconteceu as piores atrocidades que se pode imaginar. Internamentos compulsórios de pessoas sem doença mental alguma foram torturadas, espancadas, violentadas, dormiam ao relento e morriam de frio. Comiam ratos, bebiam água de esgoto e urina. Eram os passageiros do "trem doido". Pois essa era a forma de locomoção até o inferno.

Como é que a sociedade, toda sorte de "gente direita"deixaram que essas barbaridades acontecessem pelo simples fato da pessoa se tímida, ter perdido a virgindade ou apresentar uma gravidez indesejada. Moças tidas como desobedientes eram enviadas à Colônia. Empregadas que ficavam grávidas de seus patrões, tinham a mesma sorte. Homossexualidade ou andar nas ruas sem documentos eram motivos suficientes para a pessoa ser enviada à colônia que abrigava até mesmo crianças.

É uma história tão desumana e cruel que a autora não poderia ter dado outro nome, “Holocausto”. Há um doc feito pelo canal History e que está disponível também no Youtube. Misericórdia.


4. Canção de Ninar:  “O bebê está morto. Bastaram alguns segundos. O médico assegurou que ele não tinha sofrido. Estenderam-no em uma capa cinza e fecharam o zíper sobre o corpo desarticulado que boiava em meio aos brinquedos. A menina, por sua vez, ainda estava viva quando o socorro chegou. Resistiu como uma fera. Encontraram marcas de luta, pedaços de pele sob as unhas molinhas. Na ambulância que a transportava ao hospital ela estava agitada, tomada por convulsões. Com os olhos esbugalhados, parecia procurar o ar. Sua garganta estava cheia de sangue. Os pulmões estavam perfurados e a cabeça tinha batido com violência contra a cômoda azul.” Como viver em paz depois de ler um início desses? Não, isso não é um spoiler, o livro começa exatamente dessa forma.

A história gira em torno de Myriam, que depois da maternidade e mesmo com a relutância do marido, decide voltar a trabalhar. Assim, o casal inicia uma seleção rigorosa em busca da babá perfeita e fica encantado ao encontrar Louise: discreta, educada e dedicada, ela se dá bem com as crianças, mantém a casa sempre limpa e não reclama quando precisa ficar até tarde. Aos poucos, no entanto, a relação de dependência mútua entre a família e Louise dá origem a pequenas frustrações – até o dia em que ocorre uma tragédia. Não dá pra desgrudar do livro.

5. As Últimas Mensagens Recebidas: Por último, mas não menos impactante, trago esse livro que é exatamente o que o título sugere: a última mensagem recebida por alguém, numa determinada circunstância. São contribuições anônimas, cedidas a Emily Trunko, que as reuniu nesta coletânea que conta histórias reais sobre os mais variados tipos de despedida. Ali podemos ver fim de amizade, o término de um relacionamento ou até mesmo um acontecimento trágico que muda a vida do destinatário e do remetente para sempre. Enviadas por celular, por e-mail ou pelas redes sociais, essas mensagens narram perdas profundas e inspiram muita reflexão. Será que não deveríamos expressar mais o amor que sentimos pelas pessoas enquanto isso ainda é possível? Ou, em alguns casos, nos afastar o quanto antes daquelas que nos fazem mal? É pesado.


Já eram algum desses que citei? Se tiver algum pra me indicar, não deixe de registar nos comentários! 😉

You May Also Like

0 comentários

É muito bom ter você por aqui! Não deixe de compartilhar sua opinião comigo! ❤