terça-feira, 16 de abril de 2019

A magia dos corantes naturais

Embora ainda não seja uma realidade na indústria da moda, fico feliz em saber que muitas marcas ligadas ao slow fashion estão dando preferência ao método tradicional e pouco agressivo para o tingimento de tecidos.



O fato de eu amar o tingimento natural não está relacionado somente ao fato desse processo ser mais  mais seguro para nós e para o meio ambiente, mas também por ser extremamente bonito! É muito difícil encontrar marcas que estejam dispostas a mergulhar no fazer, resignificando seus lucros e o fazer roupa.

Todo mundo precisa pagar contas e ter seu rico dinheirinho no final do mês. Mas, depois de tudo isso, o que fica? É nisso que precisamos pensar. Será que acumular dinheiro é tão importante assim? Qual o problemas em viver com menos, mas ter qualidade de vida? Não digo uma vida imediata, mas aquela que teremos com o passar do tempo. Que as nossas crianças terão.

Água contaminada por metais pesados é só uma das consequências. 


Conhecidos como azocorantes eles são muito utilizados na indústria têxtil principalmente por sua facilidade de produção, baixo custo e grande variedade de cores, porém eles são altamente  prejudicais tanto para o meio ambiente quanto para nós, humanos.

O uso de corantes para tingimento não é uma prática atual. Esse hábito já existia na antigas civilizações do Egito e da Índia, há mais de dois mil anos. Antigamente, os corantes utilizados eram os naturais, extraídos principalmente de plantas, o que caracterizava um processo de tingimento bastante rudimentar e tradicional.

Com a tecnologia, os naturais foram rocados pelos sintéticos, que podem ser produzidos em diversos tipos de cores e tonalidades, além de apresentarem alta resistência quando expostos, por exemplo, a condições de luz, lavagem e transpiração. De uma vasta opção de fibras para a produção têxtil, a fabricação de corantes concentra-se, em geral, no atendimento à demanda dos tingimentos de fibras de algodão, náilon, acetato de celulose e poliéster.




Os resíduos provenientes da indústria de corante ou de processos envolvendo tingimento também são um preocupação constante. Os principais problemas ambientais dos corantes têxteis estão relacionados ao impedimento da penetração da luz nos corpos d'água, afetando os seres vivos que dependem dela direta e indiretamente.

O lançamento nos rios de corantes que possuem metais pesados, como cobalto, níquel e cobre, também são um grande problema para o meio ambiente e para a saúde humana. Se esses efluentes penetrarem no lençol freático ou o agricultor utilizar a água contaminada para irrigar as plantações, os problemas relacionados podem ser muitos, como a contaminação de pessoas pela ingestão dos alimentos irrigados, contaminação pela ingestão dessa água e morte de espécies da fauna e da flora local.

Mas, não é só isso; os corantes sintéticos podem apresentar riscos toxicológicos à saúde humana e estão diretamente relacionados com o tempo de exposição, sensibilidade da pele, sensibilidade das vias respiratórias e ingestão oral.

Alternativas naturais


A população também pode optar por utilizar roupas e outros artigos têxteis em sua forma natural, sem a utilização de corantes, como roupas que são feitas a partir de fibras de algodão que já são coloridas naturalmente por manipulação genética - o que torna o produto ainda mais original contribuindo para a minimização dos impactos causados pelos corantes.

A manipulação genética pode se rum opção, mas está longe da realidade de muita gente, inclusive da minha. é aí que entram obtidos a partir de minerais e plantas - eles podem ser extraídos de raízes, folhas, casca, madeira, frutas, flores e fungos, até mesmo o desperdício de alimentos como certas cascas e caroços podem ser usados ​​para o tingimento. Os corantes podem vir diretamente da planta fresca ou para tingimento mais comercial, eles são tipicamente secos, em pó ou extraídos.

Como tingir naturalmente


O método é muito simples! Basta adicionar o material corante à água quente durante algum tempo para criar um banho de tingimento.

Em seguida, o tecido deve ser colocado no recipiente. Muitas vezes precisa ser mexido para obter uma cor uniforme e dar tempo para absorver o corante - normalmente, quanto mais tempo o tecido for deixado no banho de tintura, mais profunda será a cor. Corantes como o índigo são fixados quando oxidam, então você tem que repetidamente mergulhá-lo no banho e pendurá-lo para aprofundar a cor.

Essa foi um explicação bem rapidinha e que talvez não te ajude muito se você não sabe como fazer. É legal entender um pouco de química, reação... A boa notícia é que existe muito material gratuito disponível e pessoas que vivem para isso e estão super dispostas a ajudar. <3

Lembro que esse método não dá o acabamento que provavelmente você está acostumada, mas ele é infinitamente adequado ao que precisamos. 😊

Vamos juntas?



Todos os Direitos Reservados.



Sou jornalista com Especialização em Comunicação e Marketing de Moda e idealizadora do Hey, Missmooon. Aqui, te ajudo a entender como funciona o fashion Business e, de quebra, a preservar o nosso planeta!

0 comentários:

Postar um comentário

Contato

Mande um Oi!

Endereço

Vamos marcar um café?

Para dúvidas, parecerias, jobs ou apenas um oi, entre em contato!

Endereço:

Salvador, BR

Telefone:

em breve

Email:

contato.heymissmoon@gmail.com